Camarão na gravidez? Veja os tipos de frutos do mar que devem ser evitados

0
23

Durante a gestação, há alimentos que podem ser prejudiciais para o bebê. Uma das dúvidas mais comuns é sobre o consumo de frutos do mar. Será que comer camarão na gravidez é indicado? Pensando nesse questionamento, vamos te mostrar os tipos de frutos do mar que devem ser evitados neste tipo de situação. 

Apesar de serem conhecidos por causar alergias, alguns frutos do mar, como o camarão, podem ser uma ótima fonte de proteína, minerais e ácidos graxos quando preparados em boas condições. Isso vale tanto para a mãe quanto para o bebê. Dessa forma, o alimento acaba contribuindo para uma gestação mais saudável, equilibrando o desejo e também a ingestão de nutrientes. No entanto, por conter uma quantidade alta de colesterol, o camarão precisa ser consumido moderadamente em alguns casos.

O consumo de frutos do mar durante a gravidez deve passar primeiramente por uma avaliação médica geral. Dependendo do histórico da gestante, esse tipo de alimento pode ser restringido ou até proibido. Esse ponto é importante porque precisamos entender que cada gestação é diferente. Por isso, não há uma regra para todas as mulheres que passam por esse processo. 

Existem também outros riscos que devem ser avaliados antes de ingerir essas delícias do mar. Alguns mariscos, como atum, cação, tainha, cavala, tucunaré e peixe espada, possuem um grande teor de mercúrio, substância tóxica ao sistema nervoso do feto. O consumo desse tipo de comida pode afetar o desenvolvimento do bebê, sendo recomendado evitar a ingestão de tais comidas. 

Além disso, quando os frutos do mar não são bem cozidos ou assados, eles podem transmitir bactérias para o nosso organismo, como é o caso da salmonela, e ocasionar intoxicação alimentar. Esse tipo de infecção tende a provocar sintomas de vômito, febre, diarreia, dor no abdômen e mal-estar. Além do risco de desidratação, as bactérias também podem se instalar na corrente sanguínea e atravessar a placenta, passando para o bebê. 

Gestantes podem ingerir comida japonesa? 

Passar 9 meses sem comer aquele sushi pode parecer um pesadelo para as futuras mamães que adoram comida japonesa. Boa parte de bactérias e parasitas são eliminados quando o peixe é conservado em temperaturas abaixo de 0ºC – antes do preparo. Quando cozidos ou grelhados, elimina-se o restante. Portanto, não tem problema consumir peixe cru ou grelhado durante a gestação, desde que o peixe usado tenha sido congelado primeiro. 

Se você estiver insegura, o melhor a fazer é evitar mesmo, consultando seu médico para tirar suas dúvidas. Esse profissional indicará se o consumo será, de fato, seguro para você e seu bebê. Caso a ingestão esteja liberada, prefira restaurantes com alto padrão de higiene e não tenha medo de perguntar aos responsáveis sobre a forma de conservação. Afinal, é para garantir a sua segurança e a do seu filho! 

Lembre que é necessário prestar atenção na quantidade ingerida desses alimentos. Além disso, fique de olho na procedência (prefira preparar em casa a comer em restaurantes), no modo de preparo (certifique-se de que tudo esteja bem cozido). E sempre informe ao médico o seu histórico de saúde.

Muitas vezes, as pessoas tendem a lidar com a gravidez como se fosse uma doença, projetando proibições sem fundamento e que ocasionam o desequilíbrio, o que não faz parte de uma vida Wellness. A restrição alimentar deve acontecer sob orientação médica, não por conta de incertezas. Assim, o período será muito mais agradável e saudável. 

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here